Antes de perceber qual a relação entre a inteligência emocional e a aprendizagem é necessário entender o conceito de inteligência emocional e o seu significado.

Entende-se por inteligência emocional o conjunto de mecanismos mentais necessários à resolução de problemas e à gestão de comportamentos, isto é, a habilidade que o indivíduo tem para identificar, utilizar, compreender e regular as emoções em si próprio e nos outros.

Inteligência emocional e o processo de aprendizagem

São vários os especialistas que dizem que a inteligência emocional está intimamente ligada ao processo de aprendizagem. Ter a capacidade para lidar com as emoções é, de facto, uma mais-valia, tendo em conta que as pessoas emocionalmente estáveis têm tendência para ser mais confiante, mais motivada e mais eficaz na concretização das tarefas. Nesse sentido, também está mais disposta a correr riscos, a ser mais criativa e a lidar da melhor forma com a vulnerabilidade. Todos estes fatores têm uma influência positiva no processo de aprendizagem, tornando-o mais fácil, dinâmico e ajustado a cada pessoa.

O ser humano é movido por emoções. Não cuidar desta parte de nós origina desequilíbrios na nossa saúde física e mental com impacto negativo nas diferentes dimensões da nossa vida. Assim, a Inteligência Emocional é a ferramenta mais eficaz para destravar o potencial que existe em cada um de nós. As emoções geram pensamentos, sentimentos e comportamentos, sendo que uma pessoa com uma inteligência emocional elevada tem potencial para ter uma boa intuição, uma boa capacidade para tomar de decisões, uma bússola moral forte, é empática, envolvida e participativa, e hábil nas relações interpessoais.

Cada pessoa vive as suas experiências, reflete e tira delas uma determinada aprendizagem e/ou significado. Isso passa a fazer parte do seu conhecimento, dos seus valores, das suas crenças, por isso, é natural que mais tarde associe esse significado a uma outra situação. Ou seja, se num processo de aprendizagem aquilo que é apreendido tiver um peso emocionalmente significativo, será assimilado de forma mais marcante. Isto quer dizer que o processo de aprendizagem com a respetiva apreensão de conteúdos, surge da interligação das vivências individuais e respetivas emoções com aquilo que se está a aprender.

A inteligência emocional aumenta a clareza da mente e facilita o raciocínio. Ao gerir as emoções, é criado o espaço necessário no pensamento para que as ideias fluam de forma mais organizada, facilitando, assim, a resolução dos problemas de maneira mais objetiva e menos impulsiva.

Indivíduos que conseguem desenvolver a inteligência emocional são cada vez mais valorizados. Isso porque reconhecer as suas próprias limitações e trabalhar para ser indulgente com as falhas dos outros são capacidades acessíveis apenas àqueles que estão em permanente estado de vigilância na procura da excelência.

Neste sentido, é fundamental que cada um de nós procure desenvolver a sua inteligência emocional, viagem esta que irá permitir melhorar o autoconhecimento e contribuir para melhores resultados na vida académica e pessoal.

Para facilitar este processo, com o serviço de coaching podes mergulhar numa jornada de autoconhecimento. Descobre como aqui.